Backpacking Two

15 dias em Mianmar

6 Comentários

Dia 01/07/2015, já com saudades, deixamos Mianmar e, fazendo um resumão, passamos pelos seguintes lugares em 15 dias:

Yangon (17 a 21/06/2015)

Foi a capital de Mianmar até 2005, sendo hoje a maior cidade do país, com mais de 5.000.000 de habitantes.

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

Pelas ruas de Yangon

É em Yangon que está localizada a Pagoda Shwedagon que é o símbolo religioso mais importante de toda Mianmar. Há quem acredite que tal Pagoda data de mais de 2.600 anos, o que faria dela a mais antiga de todo o mundo. A entrada para visita custa 8 dólares por pessoa.

Pagoda Shwedagon

Pagoda Shwedagon

Pagoda Shwedagon

Pagoda Shwedagon

Pagoda Shwedagon

Pagoda Shwedagon

Yangon também é a cidade da Pagoda Sule, construída há mais de 2.000 anos. Há quem acredite que abriga um cabelo do Buda. A entrada para visita custa 3 dólares por pessoa.

Pagoda Sule

Pagoda Sule

Pagoda Sule

Outro ponto turístico bastante visitado em Yangon é a Pagoda Chauk Htat Gyi, a Pagoda do Buda Reclinado, que abriga um dos maiores Budas do mundo. A entrada é de graça.

Pagoda Chauk Htat Gyi

Pagoda Chauk Htat Gyi

Pagoda Chauk Htat Gyi

Pagoda Chauk Htat Gyi

Pagoda Chauk Htat Gyi

Nyang Shwe (22 a 24/06/2015)

Cidadezinha à margem do Lago Inle, com paisagens montanhosas belíssimas! Um ótimo local de descanso e relaxamento.

Logo na chegada, paga-se 10 dólares por pessoa de taxa de entrada na cidade, que vale por 7 dias.

Pelas ruas de Nyang Shwe

Pelas ruas de Nyang Shwe

Pelas ruas de Nyang Shwe

Pelas ruas de Nyang Shwe

Pelas ruas de Nyang Shwe

Pelas ruas de Nyang Shwe

Sua principal atração turística é o passeio de barco pelo Lago Inle, que dura cerca de 7 horas e onde se conhece boa parte dos vilarejos em torno e dentro do Lago. Tal passeio custa 15 dólares, valor esse que se paga pelo barco que comporta até 5 pessoas.

Barcos

Passeio de barco pelo Lago Inle

Passeio de barco pelo Lago Inle

Passeio de barco pelo Lago Inle

Passeio de barco pelo Lago Inle

Passeio de barco pelo Lago Inle

Passeio de barco pelo Lago Inle

Bagan (24 a 27/06/2015)

Mianmar que o mundo conhece!

Bagan é a cidade dos mais de 2.000 templos, datados dos séculos XI e XII d. C. Infelizmente, não foi reconhecida como Patrimônio Histórico Mundial pela UNESCO, pois muitos desses templos foram restaurados sem manter a originalidade. Uma pena! Ainda assim, é a cidade mais visitada de Mianmar.

Logo na chegada, paga-se 20 dólares por pessoa de taxa de entrada na cidade, que vale por 7 dias e serve para visitar todos os templos.

Ananda Pahto: um dos templos mais preservados e reverenciados de Bagan

Ananda Pahto: um dos templos mais preservados e reverenciados de Bagan

Pagoda Bulethi: uma das melhores vistas 360° de Bagan

Pedacinho de Bagan visto da Pagoda Bulethi

Pedacinho de Bagan visto da Pagoda Bulethi

Pedacinho de Bagan visto da Pagoda Bulethi

Pedacinho de Bagan visto da Pagoda Bulethi

Shwe Zigon:  construída em 1.087 d.C, serviu de protótipo para as demais pagodas

Templo Thatbyinnyu: o mais alto de Bagan

Templo Thatbyinnyu: o mais alto de Bagan

Shwesandaw Paya, um dos templos em que se tem vista de 360° de Bagan e um dos melhores para se ver o pôr do sol. Pena que estava nublado!

Pedacinho de Bagan vista do Shwesandaw Paya

Sulamani Pahto: um dos principais, mais preservados e bonitos templos de Bagan

Myauk Guni Paya: não é um dos principais templos, mas foi um dos mais bonitos em nossa opinião!

Pedacinho de Bagan visto do Myauk Guni Paya

Mandalay (27/06 a 01/07/2015)

É a segunda maior cidade de Mianmar.

Pelas ruas de Mandalay

Pelas ruas de Mandalay

Pelas ruas de Mandalay

Pelas ruas de Mandalay

Pelas ruas de Mandalay

Mandalay era a capital do país até 1985, na época em que Mianmar era um Reino. Assim, é a sede do Palácio Real, o principal ponto turístico da cidade. O valor da entrada é 10 dólares por pessoa e vale para outros 3 pontos turísticos.

Palácio Real

Palácio Real

Palácio Real

Palácio Real

Palácio Real

Palácio Real

Palácio Real

Outra atração imperdível de Mandalay é a Pagoda Su Taung Pyi, localizada no topo do Monte Mandalay e de onde se tem vista de 360° de toda a cidade. A entrada está inclusa no ingresso que se paga para visitar o Palário Real.

Pagoda Su Taung Pyi

Pagoda Su Taung Pyi

Pagoda Su Taung Pyi

Pagoda Su Taung Pyi

Mandalay vista da Pagoda Su Taung Pyi

Mandalay vista da Pagoda Su Taung Pyi

Ainda, outra principal atração turística da cidade é a Pagoda Mahamuni, a mais importante de Mandalay, pois abriga uma imagem de ouro do Buda, que, segundo a lenda, foi feita a sua imagem e semelhança durante a vida.

Pagoda Mahamuni

Pagoda Mahamuni

Pagoda Mahamuni

Buda de Ouro da Pagoda Mahamuni

Foi em Mandalay que vimos um dos pores do sol mais bonitos da viagem!

Pena as coisas serem tão mais caras em Mianmar, o que nos impossibilitou de ficarmos mais tempo (nos demais países gastamos, no máximo, 50 dólares por dia pra nós dois, em Mianmar, gastamos 80 dólares por dia, incluso as passagens de avião).

E isso foi um pouco do que conhecemos nos dias em que estivemos em Mianmar. Um país belíssimo e com um povo extremamente receptivo. Ficamos encantados com a forma como fomos tratados em todos os lugares em que estivemos.

Apesar de ter sido o maior choque cultural que vivenciamos até agora, não tivemos qualquer problema com comunicação, pois, em todos os lugares, sempre tinha alguém que falava muito bem o inglês e isso nos surpreendeu bastante.

Sem falar que foi o país onde mais nos sentimos seguros.

Se fosse mais barato, teríamos ficado os 28 dias de visto que nos foram concedidos, mas, em 15 dias conseguimos fazer correndo tudo o queríamos!


Fotos: Arquivo pessoal.


 

Anúncios

Autor: Wanessa

advogada, 30 anos, apaixonada por viajar, com, no momento, 22 países guardados na memória e no coração.

6 pensamentos sobre “15 dias em Mianmar

  1. Pingback: Quanto gastamos no nosso mochilão de 10 meses pelo Sudeste Asiático | Backpacking Two

  2. Pingback: Como lavamos nossas roupas no Sudeste Asiático | Backpacking Two

  3. Pingback: O dia em que fomos passados para trás em um dos 7-eleven de Bangkok | Backpacking Two

  4. Pingback: Viajando Sem Data de Retorno | Backpacking Two

  5. Pingback: História de imigração: Tailândia (por ar, vindo de Mianmar) | Backpacking Two

  6. Pingback: Andando de ônibus coletivo em Yangon, Mianmar | Backpacking Two

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s