Backpacking Two

Coisas que estranhei logo que retornei ao Brasil

Deixe um comentário

Depois de praticamente 10 meses viajando pelo Sudeste Asiático, ao retornar para o Brasil, tiveram algumas coisas naturais do dia a dia que me causaram muita estranheza, tipo…

… conseguir ler tudo e entender o que estava escrito em todos os lugares.

Nesse tempo que passamos no Sudeste Asiático, os outdoors, as placas, as fachadas, os folhetos, praticamente tudo, estava escrito em tailandês/khmer/vietnamita/laociano/birmanês. Como não entendia nada, com o tempo, aprendi a ver e ignorar.

Assim, logo que cheguei ao Brasil, foi uma explosão de informações e poluição visual, pois, pra tudo quanto é lado que eu olhava, conseguia ler e entender os escritos.

Aeroportos e suas muitas informações escritas (Foto: Terminal 02 do Aeroporto Internacional de Guarulhos, set. 2015).

… conseguir entender tudo o que as pessoas falavam.

Ficar quase 10 meses ouvindo tailandês/khmer/vietnamita/laociano/birmanês/dialetos locais, línguas totalmente diferentes do português ou do inglês, me fez acostumar tanto que nem achava esquisito ouvir pessoas falando essas línguas.

O que me chamava a atenção era quando ouvia alguém falando em uma língua que eu entendo muito ou um pouco (português, inglês, francês, espanhol, italiano). Principalmente quando ouvia alguém falando em português minha atenção se virava toda pra essa pessoa, pois não é todo dia que se vê brasileiro ou português no Sudeste Asiático.

Assim, logo que cheguei ao Brasil, com todo mundo falando português, TODA HORA me virava pra ver quem era.

Imagina dentro desse ônibus, com esse tanto de brasileiro conversando em português. Me virava toda hora pra ver quem era! (Foto: ônibus que leva os passageiros entre um terminal e outro do Aeroporto Internacional de Guarulhos, set. 2015)

… ter que falar baixo em português.

Como a chance de alguém me entender era praticamente nula, o português era uma forma de me comunicar com o Breno em qualquer situação, podendo falar o que quisesse, sem nem mesmo me importar em falar baixo.

Logo que chegamos ao Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, vi uma moça com uma mala maior que ela, custando a carregar e, sem me lembrar que as pessoas me entendiam, virei pro Breno, quase do lado da moça, e falei em alto e bom tom: “Nossa, pra que uma mala desse tamanho se nem consegue carregar direito?”.

Precisou do Breno me lembrar que, agora, as pessoas me entendiam e que o português não era mais um código pra gente. A moça ficou me olhando torto. 😦

Sentei no meio das pessoas e todos entendiam o que eu falava… :/ (Foto: Terminal 03 do Aeroporto Internacional de Guarulhos, set. 2015).

… ter que voltar a falar em português com estranhos.

Nesses quase 10 meses, tirando com o Breno, eu só conversei em inglês com as pessoas.

Assim, logo que cheguei ao Aeroporto de Guarulhos, sempre que trocava olhares com alguém saía um “hello!” ou um “hi!”, sempre esbarrava em alguém saía um “sorry!” e até um pedido de “take away!” eu fiz pra moça do fast food.

Eu empurrando esse carrinho é um perigo, pois esbarro frequentemente nas pessoas… Assim, o “sorry!” saía toda hora! (Foto: Terminal 02 do Aeroporto Internacional de Guarulhos, set. 2015).

… o clima.

O clima no Sudeste Asiático é tropical e úmido durante todo o ano.

Voltar pra Uberlândia-MG, com seu clima altamente seco nesse período do ano fez minha rinite e todos os espirros voltarem, depois de quase 10 meses sem nem me lembrar disso.

Porém, o clima seco faz o céu ficar lindo e com esse pôr do sol incrível! (Foto: Pôr do sol em Uberlândia-MG, set. 2015).

… o meu quarto.

Apesar de ser meu, parecia que eu não pertencia àquele lugar mais! 😛

Pra você que tá lendo podem parecer coisas bobas, mas, pra mim, durante uns dias até me acostumar novamente, foi realmente muito esquisito!


Fotos: Arquivo pessoal.

Anúncios

Autor: Wanessa

advogada, 30 anos, apaixonada por viajar, com, no momento, 22 países guardados na memória e no coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s